(11) 4200-0069

contato@lojavirtual.com.br

Top

Vender em marketplace vale a pena? Entenda mais!

LojaVirtual.com.br / Especializando em e-commerce  / Vender em marketplace vale a pena? Entenda mais!

Vender em marketplace vale a pena? Entenda mais!

Tempo de Leitura: 4 minutos.

Vender em marketplace é o mesmo que conseguir uma oportunidade de expor seu produto num shopping online. Quando o investidor dispõe seu produto em um site, ou aplicativo desse tipo, ele tende a alcançar visibilidade entre variedades de marcas e empresas. Mas será que o investimento vale realmente a pena?

O termo usado entre os dialetos do mundo do e-commerce representa um modelo de negócio que chegou como tendência no Brasil em 2012. E na ocasião levou os empreendedores de lojas virtuais à loucura.

O grande chamariz de vender em marketplace é a possibilidade de estar incluso no site de uma marca popular como Submarino, Walmart, Extra, entre várias outras.

É como se você acabasse de lançar uma mini loja de produtos caseiros e um grande empresário te oferecesse espaço para promover os seus produtos em troca de uma taxa sobre os lucros.

Como toda proposta de negócio, é necessário observar todos os lados da moeda. Entre as vantagens e desvantagens do marketplace, você deve analisar o seu modelo de negócio para saber se a alternativa fará bem para a empresa.

Se tudo ainda parece confuso, respire com calma. No post de hoje, vamos ajudar você a entender os pontos fortes e fracos dessa empreitada. Continue acompanhando!

Vantagens de vender em marketplace

Mais vendas

Se você já está acostumado a trabalhar com e-commerce deve saber que as vendas dependem muito do tráfego. Quanto maior ele for, maiores serão as conversões.

Portanto, potencializar a exposição dos produtos mediante a quantidade de acessos é uma das maiores vantagens de expor em marketplaces.

Os maiores marketplaces brasileiros recebem um público elevado com média de 40 milhões de potenciais compradores. Na maioria das vezes, as pessoas já chegam até eles determinadas a gastar grana.

Ter as suas mercadorias num pacote do tipo acaba ampliando a sua chance de atrair clientes novos e com real interesse no seu produto.

Diversidade de público

Que tal fazer com que o seu item apareça, de um dia para o outro, em sites com ótima indexação? E além disso com SEO fortalecido e possibilidades de divulgação da sua marca? 

Para empreendedores de lojas virtuais, oportunidades para aumentar ranqueamento e acessos chamam sempre a atenção, já que interferem nas vendas. Isso resultará em fortalecimento da marca, contato com um novo público e novas demandas que poderão fazer o seu leque de produtos crescer.

O que acontece ao trabalhar em marketplaces é que as poucas chances de um consumidor pesquisar especificamente pelo seu produto são substituídas pela alta probabilidade de eles “esbarrarem com a mercadoria” enquanto navegavam no site.

Sites como esse costumam trabalhar bem com repetições, remarketing e estratégias para proporcionar a melhor experiência possível para o comprador. Portanto, há boas chances de que o cliente veja outras mercadorias suas com frequência depois da primeira compra.

Infraestrutura desenvolvida

Os marketplaces como Mercadolivre, Submarino, Lojas Americanas, entre outros famosos, possuem uma infraestrutura robusta em operação. Por essas marcas terem alcançado reconhecimento e respeito, os consumidores sentem segurança na hora de incluir dados pessoais e sigilosos.

Além disso, quem consome costuma preferir os marketplaces porque podem colocar produtos de fornecedores diferentes em uma única compra, em um único site.

Para efetuar essa e outras funções com perfeição, shoppings virtuais investem recursos para manter uma plataforma excelente em todas as operações. Pagamentos e envios das mercadorias não são problemas.

Desse jeito, você pode contar com serviços administrativos e logísticos em nível profissional. Quanto menos burocracia, melhor.

Desvantagens de vender em marketplace

Taxas cobradas

Como nem tudo é um mar de rosas, as taxas cobradas pelas grandes lojas virtuais, por produto vendido, podem acabar sendo as grandes inimigas do empreendedor.

O percentual cobrado sobre as vendas muda de acordo com o marketplace e a categoria de produtos. Ele costuma variar de 10% a 30% na venda de cada mercadoria

Por isso, antes de fechar um contrato desse tipo, você deve se assegurar de que a sua margem pode comportar a cobrança. Os itens que você irá vender em marketplace precisam ter um preço capaz de considerar a comissão e, ainda assim, manter lucro para a sua loja.

Em geral, produtos de commodities e com margens baixas não parecem ideais para esse modelo de negócio. É preciso ser calculista e inteligente na hora de precificar. Afinal, você não quer que os clientes procurem a concorrência achando o seu produto muito caro, certo?

Falta de autonomia e controle

Vender em marketplace é como se você estivesse alugando um espaço. Dificuldades estão a cargo de uma equipe voltada para resolver problemas. Mesmo se ele venha a atingir os seus produtos no carrinho, não há autonomia para que você resolva por si só.

Mesmo tendo a sua loja identificada no momento da venda, o cliente está comprando na loja que estampa o nome do determinado marketplace. Ele comprou uma panela, uma mesa, um livro, um colchão… Na Submarino, na Amazon, no Extra… Entende?

Isso pode representar um problema quando o desafio é tentar fixar a sua marca na mente do consumidor. Além disso, se o marketplace encerrar as atividades, as marcas sujeitas a ele acabam perdendo o canal de venda. Nesse caso, a dependência econômica levaria a empresa ao buraco.

Controle de estoque

Gerenciar o estoque de maneira automatizada, sem a necessidade de reconciliação manual, não é uma tarefa simples para empresas que optam por vender em marketplace.

As transações realizadas no site devem manter sincronia absoluta com a sua armazenagem, a sua própria loja virtual e as campanhas de comunicação que você promove.

Ao precisar oferecer para o consumidor uma boa experiências de compra online, você precisará garantir mão firme no controle dos itens estocados para não faltar e nem exceder.

Se você decidir navegar nesse modelo de negócios, leve em consideração o tipo de varejista que você é, os produtos comercializados, o comportamento dos concorrentes e um balanço justo na precificação.

Vender em marketplace é um atalho mais rápido para exibir os seus produtos para potenciais clientes. Entretanto, se você já possui um e-commerce, tome cuidado para não perder o caminho do seu negócio. 

Assine a nossa newsletter para receber gratuitamente o melhor conteúdo para o mercado do empreendedorismo online.

Share

Sócio e cofundador da LojaVirtual.com.br. Com mais de 10 anos no mercado de e-commerce, tem o seu foco em acompanhar as mudanças do mercado e seguir as tendências tecnológicas.

No Comments

Post a Comment