(11) 4200-0069

contato@lojavirtual.com.br

Top

Guia: plano de negócio para e-commerce

LojaVirtual.com.br / Iniciando um e-commerce  / Guia: plano de negócio para e-commerce

Guia: plano de negócio para e-commerce

Tempo de Leitura: 0 minuto.

Quem planeja criar um e-commerce de sucesso precisa colocar a elaboração do plano de negócio em primeiro lugar. A importância desse passo para a operação de um empreendimento virtual é tão urgente quanto para o físico. Isso porque a partir dele é possível analisar as variáveis que estabelecem a empresa, criando caminhos para um crescimento maduro.

Organizar a sequência das ações necessárias no desenvolvimento de uma loja online é uma tarefa que depende de uma visão ampla e exata do cenário atual, interno e externo.

Apesar de ninguém desejar trabalhar com o fator incerteza, essa é a realidade que dificulta a tomada de decisões em inúmeros empreendimentos, aumentando os riscos das empresas.

Por sua vez, o plano de negócios é capaz de antever situações, potencialmente, perigosas para o projeto de e-commerce. E é por isso que vamos falar desse assunto no post de hoje. Continue acompanhando.

O que é um plano de negócio?

O plano de negócio também é conhecido pelo termo em inglês “Business Plan” e se refere a um estudo do negócio quanto às suas principais atividades, variáveis e metas a curto, médio e longo prazo.

A definição dessas informações de forma prática e categorizada pode funcionar como um tesouro para o empreendimento, uma vez que a liderança sabe aonde quer chegar. Trabalhar na internet não é fácil.

Por mais simples que o procedimento operacional possa parecer no início, gerir um e-commerce encarando-o como uma empresa, de fato, exige planejamento específico em busca da realização.

Quando se lança em um novo negócio, é muito importante que o empresário se cerque de certezas sobre o que esperar. Pois, somente assim ele poderá se prevenir contra a maior parte das crises e conflitos, dentro e fora da empresa.

Além disso, o plano de negócio contribui para que possa haver uma análise posterior sobre o funcionamento do empreendimento e os resultados que surgirem.

Nada de sair contratando uma empresa para ajudar você a criar sua loja virtual, sem antes pensar no roteiro de elaboração do seu projeto. Essa é uma atividade que precisa ser feita antes de tudo.

A seguir, falaremos um pouco mais da aplicabilidade desse conceito no comércio virtual.

Por que um e-commerce precisa de um plano de negócio?

É muito comum ver novos empresários iniciarem suas jornadas digitais sem dar a mínima atenção para o planejamento. Eles não encaram a investida como um projeto que precisa ter seu esboço, objetivos, cronograma, orçamento, ações e monitoramento.

Na maioria dos casos em que isso acontece, a principal razão é o simples fato de que empreendedores inexperientes não entendem a real necessidade do plano de negócio dentro de um e-commerce.

Conquistados pelas facilidades do mercado digital comparado à burocratização da abertura de uma loja física, as pessoas interessadas em ter um negócio próprio acabam priorizando a definição da plataforma, inserção de produtos e outros passos práticos.

Na verdade, elas querem se posicionar no varejo eletrônico com boas motivações. No entanto, ao pular o plano de negócio, é como se as principais bases do negócio estivessem sendo ignoradas. Isso significa que em algum momento tudo poderá desmoronar.

Para escolher uma plataforma de e-commerce, por exemplo, é preciso considerar uma série de fatores que expressam as características do negócio. Outros quesitos como estratégias de marketing, operação logística, capacitação profissional e atendimento, merecem atenção planejada, pois funcionam como determinantes do seu negócio.

Essa é a importância de se programar. Ao listar cada etapa e detalhar os processos, o empreendedor passa a enxergar melhor tanto as demandas do mercado quanto o que a nova empresa pode oferecer para supri-las.

Acredite: um negócio de sucesso está mais atrelado à preparação do que você imagina! Afinal de contas, com a instabilidade do cenário econômico no país, você, realmente, quer investir sem uma cobertura de segurança?

O que um plano de negócio precisa ter?

Você está convencido da importância de dar um passo para o delineamento do seu projeto?

Ótimo! Agora precisamos conversar sobre o que um bom planejamento para e-commerce precisa ter para alavancar seu negócio, seja você um microempreendedor individual ou empresário já estabelecido no mercado físico.

O planejamento começa com um levantamento de informações minuciosas, como  a análise do mercado e da concorrência, estratégias de marketing de conteúdo, definição dos diferenciais, etc.

Não é uma brochura complicada, com dados inalcançáveis e estratégias mirabolantes, que turbinará a sua empresa e vai fazê-la disparar de um dia para o outro diante do mercado. O plano de negócio é detalhado, porém, muito mais simples do que parece.

Você pode entendê-lo como um tipo de organização mais formal e aprofundada das variáveis que cercam o empreendimento no ambiente digital.

Não há como negar a necessidade de que esse documento seja muito bem estruturadocoerente com a realidade do negócio e interligado aos objetivos centrais do empreendimento, pois ele servirá como um guia desde o início da operação.

Essas informações, por sua vez, poderão ser computadas em uma planilha avançada ou em formato de roteiro a ser acompanhado. O importante é saber que os dados funcionarão como base de análise dos resultados conquistados na prática.

Em um plano de negócio para e-commerce, o empresário aponta por escrito todos os processos e variáveis que englobam o ato de abrir uma loja virtual ou algum modelo diferente de negócio focado na venda de produtos ou serviços pela internet.

Vale lembrar que, por mais que ele funcione como um modelo a ser perseguido, o roteiro do projeto pode sofrer alterações no cronograma, orçamento ou até mesmo nos objetivos definidos. Quando isso acontece, a versão original é renovada e é aí que mora a arte do negócio.

Se você reuniu anotações de forma desorganizada e deslocada salvando alguns endereços na internet e copiando alguns textos, não chame isso de plano de negócio.

Perseguir o sucesso da empreitada é transformar o esboço em um documento preparado. Para isso, vamos ajudar você a passar pelos pontos mais importantes na criação de um projeto exemplar.

Vamos lá?

Qual é a estrutura do planejamento?

Começando por um modelo pré-estruturado, todo plano de negócio deve se encaixar ao nicho de mercado visado por cada empresa, especificamente. Quanto a essa estrutura, compartilharemos nas próximas linhas uma forma básica divida em três partes.

Vamos a elas!

Parte I — sobre o negócio:

  • informações sobre o empreendimento: dados de registro como o CNPJ, alvarás e tudo o que representar a documentação do negócio;
  • missão da organização: qual o papel da empresa e o que se espera dela;
  • segmento específico do e-commerce;
  • enquadramento tributário e forma jurídica;
  • capital social: informações sobre o planejamento financeiro, incluindo, desde o dinheiro em caixa até as aplicações em investimentos;
  • recursos: apontamento das fontes que originam os recursos para a abertura do e-commerce;
  • planejamento financeiro: projeto orçamentário operacional, ciclo financeiro, gastos com marketing digital, entre outras despesas.

Parte II — análise mercadológica:

  • definição do público alvo: identificação das principais características do consumidor e daquilo que influencia sua decisão pela compra;
  • definição de fornecedores;
  • análise da concorrência: benchmarking, quando necessário, avaliação dos pontos fracos e fortes das lojas virtuais que atendem ao mesmo nicho desejado;
  • definição dos diferenciais competitivos: listar o que o empreendimento pretende oferecer como diferencial.

Parte III — estratégias do negócio e plano de marketing digital:

  • descrição técnica dos produtos e serviços;
  • preço médio dos itens;
  • divulgação: campanhas, estratégias e ações, como anúncios e inbound marketing;
  • promoções;
  • cronograma de datas importantes para lojas virtuais;
  • determinação da forma de pagamento;
  • logística de entrega: análise das melhores condições de acordo com o perfil da loja;
  • escolha da plataforma de e-commerce.

Parte IV — objetivos:

  • medição do tempo de retorno do investimento;
  • objetivos a serem alcançadas, periodicamente;
  • planejamento de metas anual.

Etapas mais importantes

De todas as ações listadas acima, existem algumas que requerem um pouco mais de atenção e estratégia, pois funcionam como verdadeiras fundamentações para quem procura criar uma loja virtual forte e promissora.

Vamos detalhar melhor esses passos para que você não queime etapas sem saber o que está perdendo, certo? Continue acompanhando!

Financeiro

O planejamento das finanças se enquadra no primeiro grupo de variáveis a ser estudada. Afinal de contas, você precisa estabelecer uma cultura de gestão que acompanhará o projeto desde o primeiro esboço, até a consolidação do negócio em diante.

Controlar as finanças do comércio online é uma dificuldade para muitos empreendedores, por isso, compreender os principais conceitos e o impacto deles na sua empresa é essencial.

Uma boa dica é criar uma planilha financeira voltada para e-commerce e considerar adquirir algum tipo de software com módulo financeiro, que se encaixe dentro do padrão da organização.

Trabalhar com representações de custos e investimentos, exige capacidade para analisar diferentes cenários prevendo momentos pelo qual a organização pode passar.

Análise mercadológica

O estudo do mercado é uma fase que precisa ser levada com todo o cuidado possível. É nesse momento inicial que se busca compreender e registrar o funcionamento do mercado em que você quer atuar.

Se você tiver acesso a dados estatísticos de outras empresas do mesmo setor, eles poderão te ajudar a fazer uma projeção mais assertiva sobre o seu empreendimento.

Invista tempo analisando os concorrentes e fornecedores para conhecer a melhor prévia possível sobre o meio, armando-se contra problemas futuros.

Logística

Compreender como os fatores logísticos funcionarão em seu negócio é um fator de extrema importância, principalmente, quando se trata do ambiente online.

Questões como o controle de estoque, embalagens, armazenamento e envio das mercadorias são determinantes para a compra. Portanto, esses processos devem ser definidos com clareza e estratégia.

Lembre-se que a logística não se baseia apenas na entrega, mas em no processo completo: da aprovação do item até ele chegar às mãos do cliente.

Plataforma de e-commerce

escolha da plataforma de e-commerce é um processo muito delicado que não pode ser tomado às pressas. O mercado oferece diversas opções para modelos de empresas de todos os segmentos e objetivos. Portanto, é necessário investigar, conversar com os fornecedores, reunir recomendações e só tomar a decisão final quando estiver seguro da melhor alternativa.

É a plataforma que se responsabiliza pela gestão de módulos operacionais, tais como: controle financeiro, entregas, estoque e até mesmo integrações com as mídias sociais, promovendo ações de marketing digital.

Quem chega nessa etapa pode investir em alugar um modelo ou utilizar opções de código aberto, como o Magento. Existem casos em que a criação de uma ferramenta exclusiva é a melhor opção.

Para sabe onde se encaixar, o empresário precisa considerar as necessidades específicas da empresa, assim como a disponibilidade orçamentária.

O mais importante é garantir uma plataforma que consiga satisfazer o seu negócio do ponto de vista tecnológico e gerencial, assegurando que os recursos necessários estejam presentes, possibilitando a integração de setores e controlando os processos administrativos e futuros.

Por onde começar?

Agora que já falamos sobre a estruturação e os principais pontos a serem discutidos no plano de negócio para e-commerce, vamos mostrar a você os passos para criar o seu planejamento do zero.

Evite copiar um trabalho já executado, pois ele não atenderá às exigências e peculiaridades do seu projeto, uma vez que as circunstâncias não são as mesmas.

Continue acompanhando e tire suas dúvidas para elaborar um documento exemplar.

Apresentação inicial

A melhor forma de começar a redigir esse documento é manter o foco na apresentação, como se estive mostrando o seu projeto a alguém.

Fale sobre você, sua experiência profissional e a história da empresa, destacando quais são os seus produtos ou serviços e contando os seus diferenciais.

Aproveite para descrever quem é o seu público-alvo, narrando sobre o comportamento da persona e quais seriam as melhores táticas para atingi-la.

Capital da organização

Uma coisa que precisa estar clara dentro do plano de negócio é o capital inicial da empresa. Isso inclui informações sobre como ele será aplicado e de que maneira você pretende manter, financeiramente, a instituição nos próximos anos.

Sendo assim, descreva o seu planejamento financeiro, incluindo capital de giro, patrocinadores e tudo o que estiver interligado.

Se você já tiver sócios ou investidores, eles devem ser descritos dentro do plano com a definição da participação de cada um nos lucros da companhia. Aproveite para explanar a respeito das respectivas colaborações financeiras e funções de cada um dentro do projeto.

Clientes

Com o público-alvo definido, você precisará levantar o máximo de informações possíveis sobre ele, traçando um perfil real e rico em detalhes. Essa é uma das etapas mais importantes de todo o processo, pois definirá os procedimentos da empresa do início ao fim.

Sem clientes, o negócio não vinga. Por isso, descreva no planejamento informações preciosas, como gênero, poder aquisitivo, faixa etária, região, comportamento na internet, gostos, escolaridade, estilo de vida e tudo o que você puder levantar.

Conhecer dados demográficos não será suficiente enquanto muitas empresas investem pesado para descobrir como seus consumidores pensam, do que gostam e o que querem.

Nunca tente adivinhar. Achismos não ajudarão você em nada. Pelo contrário, só trarão incerteza na hora de tomar decisões. Por isso, corra atrás de respostas verídicas e baseie seu planejamento em um perfil traçado de acordo com a realidade.

Para isso, você pode buscar proximidade com seus futuros clientes por grupos na internet ou até mesmo, presencialmente. Faça questão de conversar e coletar dados.

Quanto mais informações precisas você tiver, maiores serão as chances de atender às demandas latentes, fazendo o seu empreendimento prosperar.

Diferenciais

Determinar quais são os diferenciais do seu negócio é uma etapa importante para quem quer se destacar no mercado. Uma vez que você já sabe qual é o seu nicho de interesse, busque perceber aquilo que está em falta. Ao preencher essa lacuna, você terá um diferencial poderoso, que deverá ser listado no plano de negócio.

Uma boa dica para quem está ponderando acerca de diferenciais, é analisar a concorrência com equilíbrio. Esse exercício é extremamente importante para que você enxergue o que está dando certo e o que poderia ser melhor.

Caso você note erros na operação dos concorrentes, busque refletir sobre uma solução melhor colocada. Disserte sobre como sua empresa pode fazer a diferença.

Na hora de olhar para os rivais em busca de identificar uma oportunidade para se destacar, você pode começar considerando os seguintes fatores:

  • preço;
  • atendimento;
  • prazos de entrega;
  • condições de pagamento;
  • área de alcance de entregas;
  • qualidade dos produtos;
  • garantias oferecidas.
Você acredita que há espaço para você no mercado? Como pretende conquistar sua fatia? Fale sobre tudo isso nessa parte do esboço.

Marketing

Muitos microempreendedores cometem o erro de acreditar que só porque conseguiram apresentar produtos na internet, eles vão se vender sozinhos. Lançar a sua loja virtual ou qualquer outra estratégia para vendas online é só um princípio.

Aproveite essa parte para descrever tudo o que puder sobre sua estratégia de venda. Conte sobre como você pretende promover os seus produtos dos mínimos detalhes aos desejos mais ousados.

Você pode narrar sobre a criação de logo, identidade visual, rótulos, canais, ações de rua e tudo o que você decidir que poderá ser utilizado como tática de divulgação.

É importante que os caminhos do marketing estejam alinhados com o objetivo da empresa. Eles devem refletir até onde você quer chegar, no tempo desejado e dentro dos limites financeiros delineados.

Esse cálculo é essencial para que você possa agir por meio de ações promocionais, como:

  • parcerias;
  • e-mail marketing;
  • redes sociais;
  • cupons de descontos;
  • promoção dos produtos;
  • panfletos;
  • frete grátis;
  • links patrocinados, entre outros.

Estruturação e construção de cenários

Os itens que compõem a estrutura do seu negócio não podem ficar de fora do projeto. Para o pontapé inicial, é preciso ter os equipamentos necessários, que variam de empreendimento para empreendimento.

Enumere todos eles, apontando os gastos envolvidos, individualmente. Alguns exemplos de itens são: computadores, telefone, locação de espaço, suprimentos de escritório e galpão para estoque.

Também é importante simular preços e cenários da empresa ao final do plano de negócio. Ao prepará-los, acumule resultados pessimistas ou otimistas para testar a flexibilidade e adaptabilidade do projeto.

Por isso, não descarte essa etapa. A partir dela, surgirão oportunidades para a criação de ações preventivas, incluindo um Plano B.

Cuidados para construir o plano de negócio

Ao desenhar o plano de negócio para um projeto de comércio digital o empreendedor precisa ter atenção com certos detalhes que costumam fazer toda a diferença.

Para terminar este artigo, vamos resumir alguns cuidados. Todos precisam ser considerados para que o seu negócio online tenha um planejamento eficiente.

Vamos lá?

  1. Fuja das cópias e dos modelos prontos da internet. Um plano de negócio para e-commerce é uma peça única. Vale a pena se basear em conceitos para originar o seu próprio documento, compatível com as expectativas do seu negócio.
  2. Um plano de negócio para e-commerce deve ser realista e profissional. Sendo assim, vá atrás de preços reais na área de desenvolvimento e prestação de serviços. Soluções improvisadas e amadoras não combinam com um comércio eletrônico que tem o objetivo de expansão.
  3. Não queime etapas para não ter surpresas desagradáveis depois. A programação de um comércio digital começa em um simples sinal de internet estável e vai até o funcionamento completo da cadeia logística. Tudo é importante. Não ignore nenhuma parte do que foi listado neste post.
  4. Se você possui profissionais que já trabalham ou trabalharão para você, não se esqueça de considerar a gestão de pessoas. Isso vai desde os procedimentos de Departamento Pessoal até os conceitos mais avançados de Recursos Humanos. Preze pela qualidade em todos os processos e seja responsável.
  5. Não limite o seu planejamento com uma visão pequena e restringida por sonhos pequenos. Seja ousado! Se você tem o objetivo de expandir o negócio, descreva isso no plano de negócio, ainda que a meta pareça muito distante. Essa parte é construída por objetivos que serão alcançados em curto, médio e longo prazo. Portanto, não se limite!

Depois de terminado, esse plano não pode ficar trancafiado em uma gaveta. O ideal é que você o consulte e atualize com frequência, oferecendo um norte para as ações e diminuindo a probabilidade de erros em sua jornada.

Se você gostou de aprender mais sobre como desenvolver um plano de negócio e está pensando em começar a empreender ou ampliar seu mercado e alavancar vendas, saiba que desenvolvemos um ebook com dicas de todas as etapas necessárias para a criação de uma loja virtual eficiente!

Baixe logo, gratuitamente, e não perca tempo para fazer o sucesso do seu empreendimento acontecer!

Crie sua loja virtual agora mesmo

Crie sua loja, experimente os recursos e comece a vender!

Experimente Grátis
Share

Sócio e cofundador da LojaVirtual.com.br. Com mais de 10 anos no mercado de e-commerce, tem o seu foco em acompanhar as mudanças do mercado e seguir as tendências tecnológicas.

No Comments

Post a Comment